Lágrimas... Meu mundo.




 E como se tudo fosse por água a baixo mais uma vez,
ela soltou as dores guardadas de vários momentos.
Não tinha como parar. Era impossível. Era inevitável.
Era a alma dela que saía e voltava a cada soluço que dava.
O cansaço começou a aparecer e tudo a sua volta eram
minuciosas lágrimas de dor.
Não encheu o mar com suas lágrimas amargas,
mas encharcou o travesseiro e colocou a cabeça em cima
para apreciar tudo aquilo que já tinha saído.
Ela parou por um momento e sorriu...
Tentou sorrir e então tudo veio mais uma vez pra ela.
Como se tudo tivesse entrado de novo.
Ela absorveu mais uma vez as dores e doeu...
Doeu duas vezes mais do que antes.
E assim, suas lágrimas foram mais fortes.
Mais dolorosas. Mais amargas.
Nada e nem ninguém entendia.
Tudo aquilo era só ela que podia sentir.
Tudo a fez mal naquele momento.
Mas não restava nada.
Tudo que ocorrera já não tinha mais volta.
E por isso prender toda aquela dor já não era tão mais importante.
E o que importava pra ela naquele momento era aliviar todo aquele ódio.
Era dissipar toda aquela dor.
E à cada vez que a dor saía, era mais uma poeira de cansaço em seus olhos.
E assim, ela desejou morrer de uma vez.
Pois nem descansar iria fazer ela melhorar.
A morte seria a melhor maneira de sorrir novamente.
E assim ela foi....
Foi pra onde ela sempre desejou.

Um mundo onde suas lágrimas viravam felicidade.

A palavra... A dor... A lágrima...




Ela estava sorrindo.. Não parava de sorrir.
Afinal, era feliz.
Mas isso tudo se foi repentinamente.
Por uma palavra. Apenas esta palavra.
Tudo veio à tona de uma vez só.
Ela se lembrou dos porquês de seu passado.
Na sua cabeça tudo era lamento.
Tudo era infinitamente erro. Apenas erro.
Então ela se perguntou: Por quê? Pra quê?
E assim aconteceu...
Ela chorou a dor de anos.
Chorou e criou um mar de lágrimas infinitas.
Que infelicidade.
E então tudo se transbordou.
Ela já estava cheia de tudo.
E tudo se fez sair.
A dor sempre foi finita.
Mas para ela nunca acabou.
E por essa razão tudo se tornou difícil.
Tudo se voltou contra ela.
Tudo e quase todos.
Quase, pois ela sabia fechar os olhos 
para a sua realidade e tentar deixar pra lá.
Tenta despistar essa dor dos outros ao seu redor.
Nunca quis que ninguém soubesse
de um resquício sequer de seu passado doloroso.
Nunca chorou na frente de ninguém.
Mas isso eram dias.. As manhãs de sorrisos.
Porém suas noites eram dolorosas.
Seu travesseiro encharcado de lágrimas.
Lágrimas amargas de dor.
Sua pele já não tinha a mesma cor.
Seus olhos já não eram mais brilhantes.
Seus sorrisos eram falsos.
Viraram sorrisos forçados.
Sorrisos de beleza.
Sua alma dilacerada
já não existia mais.
Ela acreditara que sua alma se foi
Para perto de um amor que já existiu.
Até sua alma a deixou.
E ela fez de tudo para seu coração não ouvir.
Mas toda essa dor, todas essas lágrimas,
todo esse mar de angústia voltou repentinamente.
Como um soco inesperado.
Tudo por causa de um ato inocente.
Uma palavra de dor.
Uma palavra, que, nem significaria tanto
se essa dor já tivesse se dissipado.
Mas coloquemos o medo na história.
Essa palavra anda ao lado dela.
É a melhor amiga. É o melhor amor.
Esse medo maldito.
Com ele, não há importância de palavras.
Pois, sempre irá cair uma lágrima a noite.
Mesmo que seja apenas uma.
Sempre será uma lágrima da mais profunda dor.

A perfeita imperfeição...




"Ela sempre para pra pensar...
Mesmo depois de seus atos impulsivos...
Ela é extremamente quieta e calada...
Mas faz de tudo para ser gentil e divertida...
Menina doce e bruta...
Gosta de ser maltratada mas ama carinho à cima de tudo...
Determina só que sua fraqueza vence tudo e lhe traz barreiras altas demais que a decepcionam e a fazem perder a esperança nos seus atos futuros...
Medrosa, mas sabe deixar seu medo de lado e dar coragem para o próximo...
Mas ela é um bebê... Um mulher por dentro... Uma mulher escondida, pois é frágil demais para sair.
Ela é seu próprio pesadelo, pois não quer deixar fluir seus detalhes mais preciosos; suas vontades e seus sonhos; seu jeito verdadeiro...
Pequena por fora e enorme por dentro...
Ela não deixa transparecer o quão colossal é a sua força e sua determinação...
Ela sabe das coisas, mas pros outros ela é tão ignorante que se esconde debaixo de suas pequenas palavras sinceras...
Mas ela é divertida, boba, esperta, esforçada e tudo de bom que você fizer ela irá retribuir...
E o mundo é feliz quando ela sorri...
Já disseram que seu sorriso bonito demais para ficar apagado...
Menina mulher... Baixinha marrenta... Pequena e gigante...
Ela quer ser perfeita, mas toda essa perfeição se toda imperfeita, pois é assim que ela deve ser..."

Olhar amável...



“Ela sorriu...
Sorriu devido ao olhar que sempre a fixava de um jeito extremo
Mas ela sempre virava o rosto e dava um sorriso
Ela não aguentava todo aquele tremor dentro de si.
Ele tinha um olhar encantador e sedutor.
Um olhar que era difícil de ler
Mas para ela, ele demonstrava sem nenhuma dificuldade tudo o que sentia.
Ela sorria sem parar.
Era esse efeito que ele tinha sobre ela.
Ela era feliz ao seu lado
E quando a distância batia, ela sabia o que fazer...
Olhava sua foto sem parar...
Instantaneamente... Involuntariamente...
Isso a fazia feliz pelo resto do dia.
Mas o seu olhar pessoalmente era o que a matava de felicidade.
Ela não aguentava olhar por muito tempo, porque ele poderia saber o que se passava em sua mente e até em seu coração.
Mas ela amava aquela alma que saía de seus olhos e ia até ela com calma e paz.
E era sempre um olhar carregado de um sorriso sincero e alegre.
Ela não podia mais se livrar...
Gostava dele...
Gostava de sua voz alta...
De sua risada exagerada...
De seu olhar brilhante...
Do seu sorriso com carinho...
E ele sabia disso. Podia sentir. Nem precisava falar.
E isso a fazia feliz.
Então... Apenas decidiu deixar sua alma caminhar ao redor da dele.”

Sentimento aflorado...




“Ela quieta demais enquanto ele não parava de falar e rir.
Ela o olhava com uma carinha inocente, enquanto ele apenas sorria contando suas histórias...
O clima tava gostoso, o dia tava nublado. O sol ameno e nenhum frio a espreita.
Eles caminharam algum tempo e pararam em uma espécie de jardim.
Ela olhou em volta e sorriu.
Amava ir a esses lugares para não fazer nada..
Apenas, quem sabe, olhar para o céu cinzento e ouvir os pássaros.
Mas aquele dia estava fora do comum...
Ela olhou o céu e o ouviu falar.
Percebeu que amava a sua voz.
Amava a sua risada.
Amava o seu jeito louco de lidar com as coisas.
Ela passou o tempo todo calada, até então que se calou e ela subitamente olhou-o fazendo uma feição de dúvida. De o por quê ele teria parado de falar.
Ele apenas sorriu.. Ela amou aquilo.
E finalmente sua voz foi ouvida por ele.
Ele ficou feliz.
A ouviu. A fez sorrir.
E que sorriso lindo ela possuía para deixar apagado na maior parte do tempo.
Conversaram, sorriram, ouviram os pássaros e fizeram de tudo para não dormirem naquela graminha embaixo de um coqueiro.
Mas se tornou impossível...
Ela sentiu carinhos em seus cabelos... O cafuné mais gostoso que havia sentido.
Sorriu e permitiu que continuasse.
Ali, deitados na grama...
Ela em seu colo e ele encostado na árvore.
Enquanto ele falava e lhe dava cafuné, ela sorria e ficara feliz apenas por estar ali.
E envolta nada mais existia além de um sentimento sendo aflorado.”

A pessoa...


'Há um sorriso....
Um sorriso que só de olhá-lo já me deixa feliz...
Um sorriso perfeito, simples, com amor...
Esse sorriso compõe-se de olhos brilhantes ao me olhar.
De um nariz grande mais que complementa todo o rosto.
Há também um pescoço impossível de não estar cheiroso.
Há braços que me abraçam como se eu fosse leve o bastante para ser jogada nas nuvens.
Braços que me pegam com leveza e carinho e me levam para um mundo só meu.
Há pernas fortes e que não me deixam escapar... Que correm atrás de mim aonde eu for.
Há um corpo...
Um corpo que eu tomei para mim.
Que há uma alma que se juntou a minha...
Que tem um beijo que ao se juntar ao meu traz sua respiração para que eu possa sentir...
Há um coração, cuja metade está comigo, pois tomei-a para mim, já que o meu amor é meramente impossível para aqueles cujo mundo é um caos...
Um coração, um amor, uma pessoa...
Uma pessoa cujo sobrenome um dia tomarei para mim."

-- Para o meu Souza S2

Eterna 3003...

  

  Ao passar pelo portão e andar até o pátio eu respirei aquela sensação gostosa de alunos conversando, rindo, estudando ou simplesmente dormindo na hora do intervalo.
  Olhei ao redor e visualizei todos os momentos que tivemos e que ainda brilham dentro de mim.
  Estou sentindo falta... Eu pensei e quase falei já que não havia ninguém ali para se jogar em cima de mim e perguntar se eu tinha algo para comer.
 
  Parei, fechei os olhos, suspirei e desejei tudo de novo.
  Desejei que fosse mais um dia de aula onde metade da sala dormia e a outra metade fingia que prestava atenção na aula.
  Me imaginei se aqueles com quem eu sempre me diverti estariam curtindo esse momento em seus pensamentos.

  Abri os olhos e olhei ao redor novamente.
  Ninguém... Absolutamente ninguém para eu andar de volta pelo corredor e ir para fora apenas conversar e zoar mais um pouco.
  Que saudade...
  Que saudades das implicâncias...
  Que saudades das aulas chatas que se tornavam engraçadas...
  Que saudades das amizades... Das brigas... Dos desentendimentos e entendimentos...

  Depois que percebi estar parada revivendo todos aqueles momentos no meu coração, andei em frente. A vida é assim. Mas não deixei de olhar em volta. De reviver cada momento com o olhar. De encostar na pilastra do corredor e sentir o cheiro do almoço sendo pronto que deixava nossas barrigas em alerta. De entrar na sala de aula com aquele arcondicionado forte ao chegar e se sentir aliviado quando sair já que ficou muito frio. De se divertir com as amizades ali. De implicar uns com os outros. De ajudar uns aos outros. De sermos amigos.

  Esses são momentos que eu, todos os dias, desejo revivê-los novamente. Desejo sentir o aroma da amizade. De ouvir a respiração dos amigos. De chamá-los de chatos e de amá-los mais ainda.
  Hoje, quando percebo que mesmo acordando cedo não vou me arrumar com a cara cheia de sono e sair ao encontro de vocês. Vou ficar ali, deitada, desejando que o tempo volte. Porque a saudade é grande e os momentos que se passaram foram únicos e eu os queria nem que fosse por mais um dia nessa nossa nova vida.


--- Para minha 3003 mais que perfeita.

Eterna felicidade...



Ela tem um motivo para levantar todos os dias de manhã e sorrir
Mesmo que o dia anterior não tenha terminado legal ou ela tenha tido um pesadelo
De qualquer forma.. A manhã é maravilhosa porque ela sabe que tem alguém que levantou pensando nela.

E ela sempre sente que quando chegar a hora de encontrar seu motivo de sorrir
Ele irá aconchegá-la em seus braços.
Irá beijá-la docemente.
Que irá cuidar dela quando adoecer.
Que irá dar bronca quando não comer e passar mal por isso.
Que irá dar seu ombro de amigo amor quando ela chorar.
Mas isso tudo porque a ama.

E ela?
Ah, ela vai prometer estar ao seu lado quando houver um pedido de casamento
E quando houver briga entre os dois.


Esse motivo tem um nome importante
Mas de mais importante é o seu coração.
Um menino homem que a faz sonhar sonhos verdadeiros
Que a conduz a um futuro com amor e com uma família.

Esse motivo...
Esse pequeno grande motivo é nada mais que sua felicidade...
Sua eterna felicidade.

Dor inexistente...




E antes de dormir ela chora por uma dor que não existe
Ela chora por um momento que pensa que vai acontecer
Sem entender os sentimentos dentro de si.
Mas é uma mistura inexistente onde há raiva, ódio, rancor e tristeza
E isso surgiu pelo seu passado. Pelo que fizeram a ela...


Pobre menina mulher...
Mal sabe que esse sofrimento foi prometido nunca mais surgir
Que esse amor de agora a fará feliz.
Mas ela chora e grita o nome do seu amor com dor na sua alma dilacerada.


E não para....
Ela grita por um desespero inexistente que a consome sem perder tempo.
Então ela culpa suas atitudes. O seu passado.
Ela culpa aquela a quem amou perdidamente
O que o fez promessas mentirosas e a largou...


Ninguém nunca entendeu o seu sofrimento. Ninguém nem ao menos sabia dele.
Mas ela precisa entender...



Mas pobre menina mulher...
Todas as suas noites são solitárias e frias e com muitas lágrimas
As únicas que a aquecem... Mas as únicas que a fazem transparecer.



Mas no fundo ela sabe
No fundo ela vê
Que o seu futuro está escrito nas estrelas por aquele que a fez prometer
Ele nunca irá deixá-la. Ele nunca irá fazê-la sofrer.

Mas mesmo assim...
Seus pesadelos serão sempre os mesmos.
A perda que nunca existiu.