Minha alegria de cada dia....


  
  
   E eu ainda quero entender todo esse bem que você me faz. Não consigo entender e não consigo aceitar. Estou apaixonada por você. Simples assim. Pior que não é mesmo que possa parecer. Você, nesses momentos de vida, se tornou um tudo no meio do meu todo nada.

  Queria deixar tido pra lá e dizer que toda essa paixão existe, mas ainda há uma força que me prende. Você espera? Diz que espera. Eu prometo não te largar. Eu te amo, sabia? É fatal tudo isso e e tão emocionante que me dá medo.

  Mas eu só não quero dizer para mim mesma que me apaixonei novamente. É difícil, por mais incrível que possa parecer. Mas nunca disse que não te amo muito menos cheguei a dizer que te amava desse jeito.

  Mas quer saber? Todo esse bem e esses sorrisos que você me traz são uma amostra de todo amor que você tem por mim e que me faz te amar mais que o normal.

Novos sonhos...



  Então eu percebi que você era tudo que eu precisava. Mas eu não enxergava isso mesmo que desejasse você e tudo ao seu redor. Eu sentia ciúmes, eu sentia saudades, eu sentia amor. Mas, na minha visão de vida, isso não era tudo que importava.

  Eu precisava largar tudo. Largar o orgulho, largar o passado, largar tudo de ruim que fazia eu me distanciar de você. Eu tinha que querer apenas você. Apenas seu carinho, seu amor, sua vida, seu tudo.

  Mas eu parei um minuto e percebi que você parecia uma cópia da perfeição que eu tinha. Ele era assim comigo como você é hoje. Carinhoso, engraçado, amigo... Mas eu acreditava nele com todo o meu poder adquirido após levantar de tantos tombos na vida. Em você eu não consigo acreditar em nenhuma palavra por causa dele.

  Ele era perfeito até o ponto em que prometeu voltar e não voltou. Como se uma mãe prometesse ao filho que só iria ali e voltaria em poucos minutos e nunca mais voltasse ao seu encontro. E eu me senti assim, uma criança infeliz, sozinha e deixada por quem eu mais amava.

  Mas eu não quero ser mais essa criança. Quero, simplesmente, que eu reconheça todo esse seu amor por mim. Que eu possa acreditar em cada palavra sua. E que eu possa resolver e esquecer toda aquela angústia que ele deixou pra mim.

  Quero poder andar de mãos dadas com você. Quero que perguntem se estamos juntos e eu, com o maior sorriso do mundo, diga que sim. Quero poder acreditar em um para sempre. Quero poder chamar a sua mãe de sogra. Quero fazer planos para o futuro deitada na cama ao seu lado. Quero sonhar a noite que tivemos filhos lindos. Quero, principalmente, te amar sem ser apenas uma amizade. Quero tirar tudo de ruim e começar uma história, de páginas brancas e perfeitas, só nossa.

Dia diferente...



  E eu pensei que jamais passaria um dia inteiro assim desde o momento em que acordei. Sendo que já comecei mal acordando tarde demais para o meu despertador cerebral. Já eram meio dia e dez e a minha vontade de levantar da cama, por incrível que pareça, não era nada saudável.

  Eu não tinha vontade de nada. Absolutamente nada, muito menos comer mesmo que a fome estivesse me fazendo quase ter vontade de correr até a cozinha e fazer algo para comer rapidamente.

 Hesitei por um instante. Olhei o relógio novamente. Eram meio dia e quinze e a vontade de levantar e encarar um dia longo e presunçoso de chuva e choros, novamente, não me agradava em nada.

  Levantei sem querer acordar ninguém. O dia estava nublado e eu deitei rapidamente no sofá. Queria voltar para a minha cama, mas não estava com sono algum e saberia que se eu forçasse sono acordaria irritada comigo mesma depois.

  A fome apertou e fui para a cozinha. Comecei a fazer algo para comer até que ouvi o barulho da porta do quarto da minha mãe. Ela acordou. Não falei com ela mesmo que ela tenha vindo me dar um beijo de bom dia ou boa tarde, não sei. Hesitei e só disse sobre meu pai, mas sem nenhuma proximidade.

  Não queria falar com ela de modo algum sobre nada nem ninguém, muito menos o que havia acontecido noite passada. Eu já tinha chorado o bastante e mesmo que eu ficasse trancada o dia todo não queria dirigir nenhuma palavra a ela.

  E o dia se passou e eu sem dizer nada. Ainda estava de pijama e tinha que tirá-lo para tomar um banho e massagear meu pé e enfaixá-lo como comecei a fazer desde que o tinha torcido. Não hesitei em fazer nada, continuei do mesmo jeito. De pijama, cabelo bagunçado, sem falar com a minha mãe e no computador vendo e revendo as redes sociais e tentando arranjar algo para fazer.

  Então minha mãe se foi trabalhar e eu esperava meu pai chegar para que uma decisão do meu dia fosse tomada rapidamente. Sendo que já eram quase quatro horas da tarde e nada dele, e eu precisava decidir tudo. Se iria para a festa ou não, se ficaria em casa ou o que aconteceria comigo depois.

  Enfim, a decisão foi tomada quando meu pai ligou para mim. Eu não sairia de casa. Já estava chorando, Deus sabe lá o por quê, e minha mãe ligou novamente me irritando. Pra quê... Toquei em tal assunto e ela desligou na minha cara.

  Tudo bem. Depois continuaram ligando. Não importava mais mesmo. Eu já não iria mesmo. O que faria do meu dia? Nada, exatamente isso. Nada de nada. Mas isso não era da minha natureza. Não era normal para mim. Eu tinha que fazer algo. E esse algo não era passar o dia todo deitada no sofá.

  Não deu outra. Quando percebi já eram oito horas da noite e eu tinha passado o dia todo coberta pelo meu edredom lendo um livro e de vez em quando parando para ver algo na TV para descansar a mente daquele livro que até que me prendia um pouco.

  As horas foram se passando. Assisti um filem aqui e ali. E de repente, cochilei sem hesitar ou pensar que não devia fazer tal coisa por que não dormiria a noite. Mas acordei rapidamente e continuei a ler o livro. Chorava a cada frase lida mesmo que meu choro não tinha nada haver com aquele livro. Mas não sabia o motivo.

  Então percebi que tudo o que acontecera e o que estava acontecendo se juntou em meu coração e começou a transbordar pelos meus olhos. Chorei a soluçar sem hesitar nem tentar parar. Me cansei e fui assistir TV.

  Não entendia o por quê daquilo mas desejei sentir o abraço da pessoa que mais me fazia sorrir naquele momento da minha vida. Ele era verde. Não, não era um ET muito menos um alface ou algo assim. Ele era uma pessoa especial para mim e mesmo que eu tivesse ligado para ele e ouvido sua voz não tinha adiantado.

  Eu esperava um abraço. Mas não podia sair de casa. Estava presa pelos meus choros, minha dor, até que suportável, no pé e uma vida tão sedentária que eu arranjei nesse dia.

  Chorei novamente atrás de todo amor que ele me proporcionava. Senti saudades de tudo. Mas, principalmente, sentia saudades daquele ser que um dia me fez sentir ser uma princesa, um dia todas nós, mulheres, conseguimos nos sentir assim. Mas minha vida de princesa tinha acabado me tornando uma bruxa ou entrando em coma legal mais que a bela adormecida.

  Até que não era tão ruim. Mas eu nunca desejei tanto ter algo para fazer nesse dia. Acordar tarde e passar o dia todo de pijama, lendo um livro, vendo vários filmes e comendo e dormindo não era pra mim. Eu, necessariamente precisava de algo ou alguém para me fazer, com um beijo ou sei lá o que, acordar após, não cem anos adormecida, mas de um dia sem entender nada da vida, sem sair de casa ou sem ao menos receber uma visita. 

Palavras simples... Palavras frias.



  Eu só não quero cair de corpo, alma e coração em algo que eu sei que não vai dar certo. Não é que eu não confie em você, eu simplesmente não consigo acreditar em nada. Não porque eu queira, mas sim porque meu coração não quer.

  E assim voltamos a aquela frase clichê “Não é você, sou eu”. Não quero dizer isso nunca, mas também não quero ficar calada e te iludir como se você fosse um nada. Não que você seja tudo, mas você é algo na minha vida, só não estou afim de te colocar no topo.

  Por que isso? Porque tem que ser assim. Sou orgulhosa e você sabe muito bem disso. Me fecho e fico de cara feia por qualquer coisa que seja relacionada a relacionamentos e principalmente ao amor.

  Não é que doa. Até que dói um pouco tanto demais. Só que eu deixo de lado dando lugar a minha frieza e ao meu lindo e maravilhoso orgulho. Ele sim faz parte de mim e nunca mais tirarei ele da minha vida. Conseqüência causada por coisas que pessoas fizeram sem ao menos perguntarem se podia.

  Não é que a culpa seja sua, voltando a repetir. Mesmo que as vezes você fale coisas que eu finjo que acredito. Não, eu não minto para você, eu apenas não quero contar as coisas detalhadamente porque você é fraco demais para as minhas palavras frias e fortes. Não suportaria de ver triste por coisas tão simples para mim e tão estrondosas para você.

  Mas vou te pedir uma coisa... Não se jogue tão forte e tão amoroso assim para cima de mim, uma menina que já cansou de caras como você. Eu posso, a qualquer momento, te virar as costas e te mostrar que nem tudo na vida é tão fácil quanto possa parecer. Você está apenas como um aprendiz para mim e um experimento  sem nem boas nem más intenções.

  Apesar de que eu já cansei de jogar palavras um tanto que frias para você, e simplesmente no dia anterior você só desejava me amar como se nada tivesse acontecido. É e eu observo isso sempre, por isso digo que por essas e por outras atitudes, para mim, você é só mais uma pequena crianças apaixonada sem motivos nenhum para querer tanto uma pessoa que você apenas acha que ama.

  Então, quando você for falar comigo novamente dizendo palavras bonitas e o quanto me ama ou simplesmente me prometer que jamais sairá da minha vida e que sempre vai estar ao meu lado ou que você é só meu e que sou a única pessoa que você faria sacrifícios como passar a noite toda acordado preocupado comigo... Saiba que eu jamais levarei fé em tudo isso até que se prove o contrário.

  Me desculpe, de verdade. Mas faço isso, especialmente, para que você pare para observar e cresça muito mais na mente e no coração do que na idade e no corpo.

  E olha que você quase me teve, só pra te mandar a real. Eu estava a ponto de me entregar porque o seu amor começava e me deixar calma e feliz. Com ligações, palavras, gestos e coisas que eu sempre busquei e quando consegui ganhar perdi.

  Só que às vezes eu acho que você é mais uma ilusão que eu crio do menino do meu passado. Aquele, que como eu já disse, foi o meu grande amor. Na verdade, não deixou de ser, mas já que ele se foi que fique as lembranças e o amor frio e orgulhoso no coração.

  Mas eu acho que isso aqui está grande demais. Eu sei lá, talvez não acabe ou acabe logo de vez para que tudo fique pior do que já está ou melhor, não se sabe. Só quero que você saiba que quase chegou a me convencer de te amar. Mas não dá, simplesmente não dá. Não agora, entende?

  Sinceridade? Eu amo você, sabia? Amo muito. Mas hoje, e ultimamente estou querendo jogar esse amor pro alto e ver se alguém agarra para poder te amar do jeito que eu no amor. Enquanto isso eu, minha frieza e meu orgulho vamos viver andando e esperando a nossa vez num mundo aonde todos nos entendam.

20° - O Final...



E ela, com a sua máscara de belos sorrisos falsos, virou as costas para todos aqueles que decidiram amá-la. Sorriu. Tirou a máscara e jogou-a tão longe quanto pode.

Lágrimas rolaram sem a vontade dela, e sua expressão maléfica sumiu dando lugar a uma tristeza plena em seu rosto pálido e gélido.

Ela era linda daquele jeito. Linda e belíssima de pele pálida, olhos profundos, cabelos negros e gestos mortais.

Se foi. Não por que quis. Mas porque não existia mais nada além da sua solidão e da sua dor. Ela morrera, só que por dentro. Não que sua vida não tinha mais nenhum sentido. Ela só não arranjara motivos para continuar a caminhar na mesma estrada de solidão.

Sorriu? Sim. Não por estar feliz, mas pro saber que a pior parte havia acabado. Continuava linda, mesmo com esse sorriso que transmitia dor e sofrimento. Mas a verdadeira felicidade ninguém chegou a descobrir.

Ela era fria? Às vezes. Só quando precisava. Por isso, esse tal amor e essa tal felicidade, todos, inclusive sua única paixão, nunca tentaram cavar o máximo para descobrir como ela era linda e amorosa por dentro.

Então ela seguiu. Pelo mesmo caminho, pela mesma vida, pela mesma virtude e pelo mesmo talento... Seu orgulho, que a fazia ser assim, desse jeito único e belo que ela tanto se mostra.


(The E.N.D - Maria de Lourdes)